Capa‎ > ‎

Coisas Principais e essenciais

O mês de janeiro proporciona a alegria da chegada de mais um ano novo, repleto de esperanças, sonhos e expectativas. E para nós, seguidores deste Caminho, tem ainda um significado  especial, pois é celebrada a cerimônia do ocultamento físico de Oyassama que, há 124 anos, deixou este convívio em prol da salvação de toda a humanidade.

    Também, este início de ano, em particular, assume uma importância especial, por marcar o período final que antecede a festa dos 60 anos da fundação da Sede Missionária, Dendotyo do Brasil, que será comemorada no dia 12 de junho.

    Todos nós vivemos sob a infinita bênção de Deus-Parens que, incessantemente, nos ampara e protege dia e noite. E, vivendo sob esta graça tão intensa e abundante, com o decorrer do tempo, acabamos nos acostumando e passamos a pensar que tudo faz parte da normalidade, da rotina do nosso dia a dia. Faz com que todos os dias pareçam iguais a qualquer outro.

    Porém, exatamente dessa percepção é que cabe reafirmar a certeza de estarmos sendo protegidos e abençoados por Deus-Parens e renovar o sentimento de gratidão e alegria por tudo, quer seja das pequenas orientações no corpo ou dos momentos de dificuldade, que se constituem nos nós da nossa vida. Também, com idêntico sentimento, devemos nos postar nos eventos relacionados à nossa fé: as cerimônias mensais, da revelação divina, do ocultamento físico de Oyassama, ou da festa dos 60 anos do Dendotyo.

    Estas datas somente se tornam especiais, se nesses dias fizermos uma reflexão e autocrítica a respeito do estágio de maturação do nosso espírito. Isto é, avaliar tudo que fizemos ou não, para planejar, estabelecer novos rumos e ajustar os passos para o caminho futuro.

    No livro Episódios da Vida de Oyassama (178. O corpo é a base), consta:

    “Havendo a vida há a semente das coisas. O corpo é a base. O dinheiro é secundário. Se alguém gritar: “Incêndio!” - todos salvarão o que puder; porém, não haverá quem o faça, sem se importar que o próprio corpo se queime. Será o mesmo nas grandes inundações. Quando entrar um assaltante, entregarão todo o dinheiro mesmo contra a vontade, porque a vida lhes é mais preciosa.

    Quando se sofre acontece o mesmo. É preciso salvar o corpo, desfazendo-se logo do secundário, sem mesquinhar. Todavia, se o espírito de mesquinhez for forte, será justamente como salvar o dinheiro, sem se importar em morrer queimado. Mesquinhando, salva-se o dinheiro e o tesouro, e perde-se a vida. Isto é o resultado da sua própria escolha. Salvar-se de um sofrimento usando o secundário, significa a razão da transformação da grande desgraça para pequena dificuldade. Compreenda bem.”

    É ensinado que na vida existem as coisas principais e essenciais. E existem, por outro lado, aquelas secundárias e dispensáveis. Devemos sacrificar as coisas desnecessárias para podermos permanecer com as essenciais. Quando nos encontramos numa situação de emergência e perigo, conseguimos instintivamente distinguir o principal do secundário. Temos o costume de dar muito valor aos bens materiais, como o dinheiro, por exemplo. Entretanto, ninguém ficará pensando em salvar o dinheiro se estiver com risco de vida num incêndio, acidente ou assalto.

    Em outras situações, quando o perigo não é iminente, nos apegamos aos bens materiais e nos esquecemos do que é essencial para a própria felicidade. Para ser feliz é necessário se desprender dos bens secundários. Levar uma vida de sofrimento por apegar-se apenas às coisas secundárias é o mesmo que perder a vida num incêndio, tentando salvar o dinheiro.

    Tudo o que é dispensável é passageiro e tem curta duração. Exemplos como a riqueza e comodidades, que não podemos conservar para sempre.

    Por outro lado, o que é importante é permanente, duradouro e eterno. São as virtudes que acumulamos no espírito. Assim, o que mais interessa, na realidade, não são os bens propriamente ditos,  mas sim, a maneira como os utilizamos nos relacionamentos com os próximos. Isto é evoluir espiritualmente, promovendo o enriquecimento do espírito com virtudes e merecimentos.

    Assim, tendo sempre em mente o objetivo da evolução e maturação espiritual, vamos encarar cada dia que antecede a festa dos 60 anos da Sede Missionária como uma oportunidade concedida por Deus, como uma porta que dá acesso a inúmeras possibilidades e experiências. Das experiências a serem desfrutadas neste período, procuremos aquelas que permitam acumular virtudes e merecimento no espírito. São as experiências de salvação ao próximo e de divulgação da fé - ambas ratificam o espírito sincero de hinokishin.

    Os momentos de tempo oportuno são vários e sequentes, mas, para que não nos arrependamos pelas oportunidades perdidas, dediquemo-nos em todas as tarefas com o máximo de empenho. O sexto decenário do Dendotyo tem uma excelente oportunidade deterrminante.